Fundação Municipal de Cultura Prefeitura de Belo Horizonte

DE 15 A 22 DE OUTUBRO

Curadoras da edição 2017 do FAN -BH, com o tema FAN Mulher

FAN Celebra o Protagonismo das Mulheres Negras

Realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura, o Festival de Arte Negra – FAN-BH 2017 acontece de 15 a 22 de outubro. O tema da edição 2017 é FAN Mulher e terá o protagonismo das mulheres negras como eixo central. Os 120 anos de Belo Horizonte e as iniciativas culturais e políticas de valorização da cidade serão celebradas, com atenção para a dimensão do gênero. O FAN-BH pretende reunir várias ações artísticas e culturais, de modo a destacar o empoderamento da mulher negra em várias partes do mundo, com foco no continente africano, no Brasil e em Belo Horizonte. Este também é o terceiro ano da Década Internacional de Afrodescendentes instituída pela ONU.

No 9o FAN-BH, o público poderá conferir aproximadamente 100 atrações, entre elas artistas de renome nacional como Zezé Motta e Ellen Oléria. O evento também promove ações que marcaram as edições anteriores como o Ubuntu – Encontro da Diversidade Religiosa, o Ojá – Mercado de Trocas e Saberes e o Fanzinho com programação dedica às crianças e adolescentes, além de exposições, rodas de conversa, apresentações de artes cênicas, mostras de cinema e literatura.

Considerado um dos mais importantes eventos do segmento fora do continente africano, o FAN-BH é realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura, e parceria cultural do Sesc e do Governo do Estado, por meio da Fundação Clóvis Salgado. As ações educativas são realizadas em conjunto com a SMED – Secretaria Municipal de Educação.

Para o secretário de cultura de Belo Horizonte, Juca Ferreira, o FAN-BH já é parte integrante da história artística desta cidade. “É o que facilmente se constata após mais de vinte anos de existência. Sua evolução rumo à reunião de várias manifestações de matriz africana e com tanta variedade é, por si só, uma exposição da riqueza cultural que nos rodeia nesta cidade, uma reafirmação de seu lugar no mundo afro-americano, mineiro e brasileiro”, completa.

Romulo Avelar, presidente da Fundação Municipal de Cultura, avalia o evento como imprescindível no cenário de Belo Horizonte. “O FAN não apenas coloca em foco expressões artísticas da cultura de matriz africana, como também suscita reflexões necessárias sobre sua presença e seu espaço na sociedade brasileira”.

Curadoria

Reforçando o protagonismo feminino-negro, a equipe curatorial conta com nomes de mulheres ligadas à produção cultural e à militância negra em Belo Horizonte. As curadoras do FAN-BH 2017 são: Carlandreia Ribeiro, atriz e dramaturga, com larga experiência na cena negra da cidade; Luciana Gomes (Dj Black Josie), DJ renomada da cena musical de BH, com formação em música erudita; Karu Torres, pesquisadora das artes e cultura negra, além de produtora de edições anteriores do FAN-BH.

Abertura oficial

Nesta edição, Joaquina Maria da Conceição da Lapinha, a primeira cantora lírica negra brasileira – de que se tem registro, é a homenageada. De acordo com a curadora do FAN-BH, Luciana Gomes (Dj Black Josie), em 1795, Lapinha atuou, inclusive, fora do país em Portugal, na virada do século XVIII para o XIX. O contexto musical da época seguia a tradição romana e não permitia a participação de mulheres. A atuação de Joaquina ao interpretar compositores renomados, segundo a curadora, aparece em registros de jornais de Lisboa e Porto, e em relatos de 1795 até 1796, e impressiona.

“O negro não só participou da música colonial brasileira, ele foi protagonista. É neste contexto que homenageamos Lapinha. As mulheres não podiam cantar nos teatros, mas quando houve essa autorização, os negros estavam inseridos no processo e, ao que tudo indica, a primeira mulher em condições técnicas de se apresentar nestes locais foi justamente Joaquina Maria da Conceição”, conclui. Em sua homenagem, concertos serão realizados no Conservatório de Música da UFMG e no Museu de Arte da Pampulha.

Em diálogo com a trajetória de Lapinha e destacando a contribuição do povo negro na música erudita, a abertura oficial do FAN-BH 2017 acontece com a apresentação de Áreas da Ópera Porgy and Bess, de George Gershwin, no dia 15 de outubro, às 9h30, no Parque Municipal Américo Renné Giannetti. Uma parceria entre o Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado, e a Fundação Municipal de Cultura. A orquestra jazzística, de 1935, foi executada com um elenco composto unicamente de cantores negros com formação clássica. Um trabalho admirado pela mistura de técnicas orquestrais europeias com os estilos jazz e folk, transitando entre o erudito e o popular.

FAN Mulher 2017

Rosália Diogo – coordenadora do FAN-BH e conselheira no Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial de Belo Horizonte, destaca: “As mulheres não formam um grupo homogêneo. Cada mulher reúne em si outras diversas identidades, diferentes culturas, etnias, orientações sexuais, idades, credos, cores e outras características. Quando as diferenças são transformadas em desigualdades, tornam-se necessárias políticas públicas específicas de promoção de igualdade de direitos, visibilidade, e enfrentamento às desigualdades, especialmente no que toca à condição da mulher negra enquanto sujeito social e político”.

Mesas de conversa – diálogos e formação

Os desafios históricos e atuais enfrentados pelas mulheres negras no Brasil, bem como suas conquistas frente ao atual cenário do país, serão pautas dos debates durante o 9o FAN-BH. Para discutir os assuntos, diversas mesas estão previstas e contarão com a presença de personalidades nacionais e locais, como Alexandra Loras, Eliane Dias, Elisa Lucinda, Áurea Carolina, Vanessa Beco, Leda Maria Martins, Ana Maria Gonçalves, Maria Flor Guerreira – Pataxó, entre outras. Com destaque para a RODA DE CONVERSA: O protagonismo da mulher negra no Brasil realizada pelo Sesc, parceiro cultural do FAN-BH 2017. Além da abordagem histórico-cultural, o objetivo é que o encontro seja uma celebração da representatividade da mulher negra no país. Na ocasião serão tratados os desafios, as histórias de lutas, o momento atual do Brasil, a força e o empoderamento feminino.

Mostra Cinema Negra

A mostra de cinema do 9o FAN-BH ocupará o MIS Cine Santa Tereza com exibição de filmes que versam sobre a mulher negra ou que foram dirigidos por mulheres negras. A curadoria buscou o fomento do pluralismo, da diversidade e da equidade culturais, dentro do cenário do audiovisual nacional. O público poderá assistir a documentários, longas e curtas de ficção brasileiros, além de participar das rodas de conversa com as diretoras.

Exposições

As artes visuais e plásticas ganham um destaque especial nesta edição do FAN-BH com a participação de Maria Rosa, Leon Passos, Lori Figueiró e Simone Moura. Por meio de fotográficas, esculturas, painéis e objetos os artistas vão colocar a memória afro-brasileira em discussão, homenageando personagens de grande importância e refletindo sobre os territórios agora ocupados pelos povos negros.

 Ubuntu – Encontro da Diversidade Religiosa

Um momento simbólico e tradicional do FAN-BH, o “Ubuntu – Encontro da Diversidade Religiosa”, reúne grupos de diferentes crenças ligados às religiões de matriz africana, católica, evangélica, muçulmana e judaica. A palavra Ubuntu é de origem africana e o significado pode ser resumido como “sou quem sou porque somos todos nós”. A proposta do encontro é justamente e o fortalecimento da diversidade religiosa, firmando a noção de união das diferenças, harmonia entre povos e crenças.

 Fanzinho

Com programação dedicada às crianças e adolescentes, o Fanzinho terá roda de capoeira, apresentações teatrais e de música, além de leituras e oficinas de dança. As atividades estão distribuídas por espaços como Parque Municipal, MIS Santa Tereza, Teatro Marília e Centro de Referência da Juventude.

 Ojá – Mercado de Trocas e Saberes

O tradicional Ojá – Mercado de Trocas e Saberes também marca presença durante todo o 9o FAN-BH, reunindo empreendedores de beleza, moda, artes plásticas, artesanato, entre outros, com propostas direcionadas para a temática afro-brasileira.

SERVIÇO: 9o FAN-BH – Festival de Arte Negra de Belo Horizonte – FAN MULHER  

Datas: de 15 a 22 de outubro de 2017

A entrada é gratuita para toda a programação oficial.

Pode haver cobrança de ingressos na programação associada.

A entrada no Parque Municipal será por ordem de chegada e o espaço sujeito à lotação.

Não haverá retirada de ingressos antecipada – informações.